FACEPE divulga resultado final da Fase 1 do CENTELHA/PE

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), divulga o resultado final da Fase 1 do edital 08/2019 – Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores – CENTELHA/PE. Foram 201 ideias aprovadas para a próxima fase, provenientes 21 municípios do estado de
Pernambuco.

Na Fase 2, os 201 proponentes que foram selecionadas deverão, então, elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar as chances da ideia gerar um bom negócio.

O Programa CENTELHA/PE contribuirá para o estabelecimento da ponte entre academia e indústria em Pernambuco, já que muitas das ideias vêm de pessoas ainda na universidade, tanto de cursos de graduação como de pós-graduação.

Além disso, o Programa Centelha abre espaço para participação de todos os cidadãos do estado, tanto para inscrever suas ideias como para interagir com os empreendedores e consolida uma forte rede de apoio ao empreendedorismo inovador.

Clique  no link abaixo para conferir o resultado.

RESULTADO FINAL – Edital 08-2019 – CENTELHA-PE

Facepe e Fapesp lançam edital para reduzir danos de acidentes ambientais petrolíferos

DAs Fundações de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco e de São Paulo (Facepe e Fapesp) lançaram edital convidando pesquisadores vinculados a Instituições de Ensino Superior ou Pesquisa (públicas ou privadas) dos dois Estados para apresentarem projetos científicos ou tecnológicos cooperativos destinados à prevenção e à mitigação de acidentes petrolíferos. A iniciativa conjunta faz parte da mobilização de esforços para reduzir os danos do desastre socioambiental decorrente do óleo que atingiu o litoral brasileiro. Clique no link abaixo para ter acesso ao edital Facepe 23/2019.

FACEPE-FAPESP-Edital 23-2019 – Acidentes Ambientais Petrolíferos – Versão final

Professora Lúcia Melo aborda estratégias e instrumentos para políticas públicas em CT&I em seminário na Facepe

ReduzidaAs estratégias e instrumentos para o desenvolvimento e implantação de políticas públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação foram tema de seminário interno realizado na manhã desta sexta-feira (7), no Salão Nobre da Facepe, proferido pela ex-secretária estadual da área Lúcia Melo. O encontro reuniu colaboradores e gestores, além do presidente da Fundação, Fernando Jucá.

As questões ligadas ao contexto global das transformações em curso no mundo, a importância de uma estratégia para CT&I e os desafios para o fomento foram temas abordados por Lúcia no começo do seminário. Ela fez uma retrospectiva de marcos históricos que nortearam as políticas de investimentos mundiais na área desde o fim da Segunda Guerra. A pesquisadora também chamou a atenção para o papel do Estado no incentivo à tecnologia e inovação. “Quem bancou as grandes inovações que mudaram o mundo? O Estado é o responsável por todo o crescimento que a gente está vivendo hoje”, disse ela ao se referir às primeiras pesquisas que deram origem à Internet, entre outras inovações.

No quesito inovação, Lúcia apresentou dados e referenciais teóricos de pensadores como Shumpter, Freeman e Lundvall. Ela também destacou que as políticas públicas deste setor devem levar em conta aspectos transdisciplinares. “É quando você faz com que a sociedade participe do processo decisório das políticas da ciência e tecnologia. Os interesses da sociedade são incorporados”, disse Lúcia citando a Alemanha como país onde essa tendência é forte.

Em outro momento do seminário, a ex-presidente da Facepe analisou as mudanças ocasionadas pela revolução digital. “O impacto na organização da sociedade é muito grande principalmente a partir das redes sociais. A intensidade do uso dessas redes sociais muda as preferências, as escolhas e interferem em tudo, até nas eleições”.

Reduzida 2Outro tema salientado pela ex-secretária diz respeito a planejamento, considerado por ela um dos maiores desafios do Estado brasileiro. “A cultura do planejamento é muito no nível orçamentário e não no nível estratégico, é um planejamento operacional”. Esse ponto colocado por Lúcia tem a ver com o que ela analisa como uma falta de linearidade das políticas públicas nacionais em CT&I. “A descontinuidade é a maior fraqueza das políticas públicas no Brasil”, afirmou. O Proálcool foi um exemplo citado por ela.

 

Lúcia Melo finalizou o seminário elencando os desafios para o fomento em CT&I no país e em Pernambuco. Segundo ela, o fomento deve ser direcionado à demanda, à oferta e articular novos modelos institucionais promotores da colaboração entre atores dos sistemas de inovação. A pesquisadora também aponta que esses desafios devem ter orientação estratégica e antecipatória, além de buscar oportunidades para inovação, pesquisa e formação de recursos humanos.

Gestores de universidades e centros de pesquisa participam de workshop sobre tecnologias hídricas na FACEPE

Os gestores das principais universidades e centros de pesquisa do Estado marcaram presença na abertura do II Workshop de Tecnologias Hídricas, Hidrologia e Gestão de Bacias Hidrográficas, que aconteceu no salão nobre da FACEPE. O evento foi prestigiado pela reitora da UFRPE, Profª. Drª Maria José de Sena; pelo reitor da UFPE, Prof. Dr. Alfredo Macedo Gomes; além de representntes da Unicap, UPE,  Univasf e IPA. Na ocasião, o diretor presidente da TPF Engenharia, João Recena, proferiu uma palestra com o tema  Inovações e alternativas de gerenciamento em recursos hídricos.

IMG-20191105-WA0003Este é o segundo workshop organizado pelo Prof. Dr. Abelardo Montenegro, do departamento de Engenharia Agrícola da UFRPE. O primeiro foi realizado em outubro de 2018, no auditório da UFRPE. Foram apresentados resultados obtidos até o momento por meio de produtos, processos (já encerrados e/ou em andamento), produção de artigos em revistas internacionais, diversas participações em eventos da área de recursos hídricos,  e registro de patentes.
Vale destacar o envolvimento de vários estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado nos diversos subprojetos, os quais vêm sendo desenvolvidos nas instituições parceiras reunidas no projeto principal, coordenado por Prof. Dr. Abelardo Montenegro, financiado pela FACEPE através do Edital 04/2017 – Alianças Interinstitucionais do Conhecimento – Recursos Hídricos para Pernambuco.

Ações da Facepe são tema de palestras no I Encontro Pernambucano de Educação, Ciência e Tecnologia

untitledO presidente da Facepe, Fernando Jucá, foi um dos palestrantes do I Encontro Pernambucano de Educação, Ciência e Tecnologia. O evento aconteceu no auditório Frederico Simões Barbosa do Instituto Aggeu Magalhães, localizado no campus da UFPE. Jucá falou sobre o tema Fomento à Pesquisa e Desenvolvimento no Estado de Pernambuco juntamente com o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aluísio Lessa.  A coordenação acadêmica da mesa foi de Abraham Benzaquem Sicsu. O encontro foi promovido pela Academia Pernambucana de Ciências.

Aluísio Lessa, Abraham Sicsú e Fernando Jucá

Aluísio Lessa, Abraham Sicsú e Fernando Jucá

Jucá destacou as ações do plano estratégico da Facepe, a tendência de alta nos investimentos para 2020 e o apoio na formação de capital humano altamente qualificado. De acordo com os dados apresentados, em Pernambuco, 36,9% dos alunos da pós-graduação possuem bolsas, sendo 20,8%  da Capes; 5,8% CNPq e 10,3%.

3Ele também falou das inciativas em Ciência e Tecnologia visando reduzir os impactos ambientais, sociais e econômicos do vazamento de petróleo no litoral de Pernambuco. Uma dessas ações é o edital 22/2019, publicado em 25 de outubro, que destina R$ 2,4 milhões para o combater a tragédia. Outro edital focado em mitigar as consequências desse acidente (23/2019) se dará em parceria com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de São Paulo (Fapesp), que será lançado nesta sexta-feira (8).

O presidente ressaltou ainda o apoio da Facepe a 73 projeto na área de Inovação, o incremento de ações em parceria com instituições internacionais (nos últimos cinco anos já foram 43 editais) e a digitalização e guarda do acervo documental da Fundação a cargo da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

4

 

Abertura de workshop sobre tecnologias hídricas e gestão de bacias será realizado nesta terça (5) na Facepe

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco vai sediar o II Workshop de Tecnologias Hídricas, Hidrologia e Gestão de Bacias hidrográficas. O evento vai acontecer nesta terça-feira (5), às 9h, no Salão Nobre da Facepe, e terá como tema principal  os recursos hídricos no semiárido do Estado. As discussões irão girar em torno dos cenários e soluções de convívio produtivo com a escassez d’água. O workshop vai contar com a participação de pesquisadores e representantes do Consórcio Universitas, que reúne as universidades de Pernambuco, além do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA).

 

FACEPE divulga resultado do edital 12-2019 PEPE

Marca-FACEPEO Comitê Avaliador recomendou a contratação de seis propostas relacionadas ao Edital 12-2019 de Pesquisador na Empresa de Pernambuco (PEPE). O comitê é formado por avaliadores externos e teve as recomendações aprovadas pela diretoria da FACEPE. O valor total é de R$ 819.840,00 (oitocentos e desenove mil e oitocentos e quarenta reais). Clique no link abaixo  e confira as informações para a fase de contratação.

Edital_FACEPE_12-2019-PEPE_RESULTADO Final.doc

Facepe reforçará fomento à pós-graduação em 2020

Reunião pró-reitores recortadaA Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) vai reforçar ações de fomento à pós-graduação. A medida foi acertada durante um encontro que reuniu o presidente da Fundação, Fernando Jucá, e pró-reitores de pós-graduação da UFPE, UFRPE, UPE, Unicap, além de representantes do Centro Aggeu Magalhães. O diretor científico da Facepe, Paulo Cunha, também participou da reunião. De acordo com ele, o reforço visa compensar os cortes determinados pela Capes e CNPq em cursos de pós-graduação que obtiveram notas 3 e 4. Em 2020, a Facepe vai conceder mais 50 bolsas, sendo 30 para mestrados e 20 para doutorados. “Somos o segundo maior fomentador de bolsas para pós-graduação em Pernambuco, ficando atrás apenas da própria Capes e superando o CNPq”, revela Paulo Cunha.