Lançada a segunda edição da Revista Inovação & Desenvolvimento – FACEPE

IMG_6357Editorial

Inovação & Desenvolvimento tem por objetivo mostrar resultados concretos de avanços em P&D, realizados em Pernambuco, que contribuíram para uma melhoria das condições socioambientais e econômicas do estado.

Nessa direção, após um primeiro número comemorativo, em que se procurou analisar a trajetória da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco, fez-se uma programação para o ano de 2020 em que se procura conhecer mais setores estratégicos. Uma agenda em que se pretende publicar três números. O primeiro sobre os Parques Tecnológicos, o segundo sobre os avanços na área de Doenças Negligenciadas, finalizando com um sobre a Agricultura.

A Teoria da Inovação mostra que nem sempre se conseguem os resultados esperados, mas, ao conseguir, os resultados mais que justificam os investimentos realizados. Este primeiro número do ano, sem dúvida, é um exemplo claro disso.

Nas décadas de 80 e 90, a concepção e criação de Habitats de Inovação era apontada como a principal meta para um desenvolvimento mais sustentável. Nessa direção, muitas incubadoras foram criadas e vários Parques Tecnológicos concebidos. Em Pernambuco, já em 1990, é criada a primeira Incubadora de Empresas de Base Tecnológica no Instituto Tecnológico – ITEP.

Nos anos 2000, muito se avança em termos de desenvolvimento do estado, com a consolidação do Complexo Portuário de Suape e com a instalação dos polos Automotivo de Goiana, do Naval (também Suape) e indústrias mais tecnificadas.

Esse ambiente permite um pensar mais aprofundado na área de Parques Tecnológicos e quatro são concebidos. Conseguiram se consolidar dois, o Porto Digital e o Parqtel. Infelizmente, a crise e a saída de algumas empresas fizeram com que dois, o Metalmecânico e o Farmacêutico não fossem muito adiante.

O Porto Digital é um exemplo de empreendimento que foi crescendo em seus objetivos e em sua dimensão. Evidentemente, teve percalços no caminho e novos desafios terá que enfrentar, mas é apontado como um exemplo exitoso no País e fora de nossas fronteiras. Os resultados são facilmente perceptíveis.

O Parqtel teve inúmeras reformulações. De um período em que praticamente estava desacreditado, conseguiu se reformular e apresenta um potencial bastante sólido em anos recentes.

Nesta edição, procuramos entender um pouco mais como a investigação e o desenvolvimento tecnológico deram, e continuarão dando, maior solidez a esses dois empreendimentos fundamentais para um melhor futuro de nossa sociedade.

Trazemos ainda uma novidade. Uma seção que trata da atualidade da Inovação no Brasil. Um artigo do Secretário Nacional de Inovação, alguns eventos importantes programados, indicações de leituras de textos recentes sobre o tema. A ideia é permitir ao leitor melhor posicionamento do que ocorre no setor de Inovação no País.

Antes de encerrar este editorial, vale um adendo ao segundo tema a ser abordado por I&D em 2020. Estávamos na fase de edição deste segundo número quando a humanidade foi surpreendida pela Pandemia da Covid-19. Em questão de dias, todos os aspectos da vida foram permeados pelo novo coronavírus.

Em meio a tantas questões de um debate complexo, que envolve negacionismos, dilemas falaciosos Saúde x Economia, entre outros, eis que a busca por uma solução à doença desperta uma atenção urgente e necessária às descobertas científicas, à pesquisa de qualidade e aos avanços tecnológicos inerentes à sobrevivência humana. Por isso, resolvemos trazer, já nesta Edição Nº 02, dois textos de cientistas sobre a Pandemia. Chamamos o leitor a participar dessa discussão na próxima edição de I&D, mas por ora convidamos a fazer um passeio revelador pelos Parques Tecnológicos de Pernambuco.

Desejamos boa leitura. Clique no link abaixo para ter acesso à revista.

Revista Inovação & Desenvolvimento Nº2

Iniciativas britânicas para enfrentar a pandemia da Covid-19

combate-ao-coronavirus-deve-combinar-acoes-do-poder-publico-e-privado-221447-article

À semelhança do que acontece no Brasil, diversas instituições do sistema de ciência, tecnologia e inovação do Reino Unido estão em busca de soluções para enfrentar a pandemia da Covid-19.

Tendo em vista o potencial de cooperação entre entidades brasileiras e britânicas nessa frente, a Embaixada do Brasil em Londres mapeou as principais iniciativas do gênero em curso no Reino Unido. Incorporaram-se ao mapeamento, em anexo, iniciativas da academia e do setor privado, inclusive de “start-ups”.

Destacam-se, em particular, as ações empreendidas pelo Imperial College London e pela Universidade de Oxford:

- IMPERIAL COLLEGE LONDON

 

O Imperial College London tem tido especial influência no desenho da resposta britânica à Covid-19.  Seguem as principais iniciativas de pesquisa em curso no Imperial College em resposta à pandemia:

 

1) Modelos matemáticos: 

 

A equipe do renomado Professor Neil Ferguson, Diretor do Abdul Latif Jameel Institute for Disease and Emergency Analytics do Imperial College, tem desenvolvido modelos científicos sobre o impacto de políticas públicas na contenção do vírus. São estudos que motivaram correção de rumo no tratamento da questão pelo governo britânico (https://www.imperial.ac.uk/news/196659/the-disease-outbreak-centre-where-scientists/).

Dados de contato:

Abdul Latif Jameel Institute for Disease and Emergency Analytics

Academic Lead – Katharina Hauck

+44 (0)20 7594 9197

 

 

2) Pesquisas sobre vacinas e estudos virais:

 

A equipe do Professor Robin Shattock, no Departamento de Doenças Infecciosas do Imperial College, está conduzindo pesquisas sobre o desenvolvimento de uma vacina RNA para a Covid-19. O referido estudo receberá GBP 22,5 milhões do governo britânico. Segundo Shattock, os recursos permitirão não apenas “fast track” estudos clínicos para que sejam viabilizados até junho, como também possibilitarão avaliar meios para produção de vacina em larga escala. A equipe do Imperial adianta que segunda rodada de testes clínicos em outra localidade geográfica será essencial para permitir a produção de uma vacina global

(https://www.imperial.ac.uk/news/196313/in-pictures-imperial-developing-covid19-vaccine/).

Dados de contato:

Professor Robin Shattock

Section Head, Immunology of Infection

r.shattock@imperial.ac.uk

+44 (0)20 7594 5206

 

A Professora Wendy Barclay, por sua vez, está conduzindo pesquisas sobre diferentes modalidades de vírus respiratórios, como influenza, particularmente em relação ao seu método de contágio. Espera-se poder aplicar o conhecimento adquirido ao caso da Covid-19 (https://www.imperial.ac.uk/barclay-lab).

 

Dados de contato:

Professora Wendy Barclay

Head of Department of Infectious Disease

w.barclay@imperial.ac.uk

+44 (0)20 7594 5035

 

3) Protótipo de ventilador “open-source“: 

 

Especialistas do Departamento de Bioengenharia e do Departamento de Cirurgia e Câncer do Imperial College desenvolveram, em conjunto, modelo simples e de baixo custo de ventilador emergencial. O protótipo responde aos requisitos do Medicines and Healthcare Products Regulatory Agency do Reino Unido.  Segundo o Imperial College, poderá ser de especial interesse para países em desenvolvimento com escassez do equipamento. A equipe está em busca de organizações e de empresas que tenham interesse em produzir industrialmente o protótipo. Mais detalhes sobre o desenho do ventilador podem ser encontrados em: https://www.imperial-consultants.co.uk/areasofexpertise/emergency-ventilator/.

Dados de contato:

Anne Freitag

Engagement Manager For Materials, Bioengineering, Chemical Engineering, Computing, Earth Sciences, Cyber Security, Data Science, AI.

consultant-support@imperial.ac.uk

+44 (0)20 7594 6572

 

4) Diagnósticos:  

 

A equipe do Professor Chris Toumazo, do Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica do Imperial College London, desenvolveu um modelo de teste clínico para a Covid-19, o qual não requer conhecimento especializado ou equipamento específico para ser executado. Os cartuchos de teste rápido, que produzem resultados em menos de uma hora, já passaram por rodadas de testes clínicos e agora estão sendo testados em amostras mais amplas de pacientes. Espera-se que o esforço contribua com o objetivo do governo britânico de aumentar o número de testes conduzidos nacionalmente a 100.000 por dia. Mais detalhes podem ser encontrados em https://www.imperial.ac.uk/news/196801/rapid-lab-free-covid-19-test-delivers-results/.

Dados de contato:

Professor Christopher Toumazou

c.toumazou@imperial.ac.uk

+44 (0)20 7594 6255

- UNIVERSIDADE DE OXFORD

 

Estudos do Oxford Vaccine Centre:

 

Produção de vacina: A Oxford Vaccine Centre já conduz testes em seres humanos para o uso clínico de vacina contra a Covid-19.  As pesquisas estão sendo conduzidas pelo Edward Jenner Institute for Vaccine Research e pelo Oxford Vaccine Group. A equipe acadêmica, liderada pelos Professores Sarah Gilbert, Andrew Pollard, Teresa Lambe, Sandy Douglas, Catherine Green e Adrian Hill, está trabalhando no projeto desde janeiro de 2020.  Os testes clínicos serão realizados em cooperação com a University of Southampton NHS Trust e com a NIHR Imperial Clinical Research Facility.  A vacina será testada em indivíduos saudáveis, com idade entre 18 e 55 anos, em cinco localidades no sul da Inglaterra. Oxford busca desenvolver modalidade de vacina baseada em “chimpanzee adenovirus vaccine vector” (ChAdOx1), que evita o desenvolvimento de infecção no indivíduo vacinado – seria opção mais segura para crianças, idosos e indivíduos com condição de saúde pré-existente, como diabetes. A pesquisa receberá GBP  20 milhões do governo britânico. Mais detalhes podem ser encontrados em: <https://covid19vaccinetrial.co.uk/home>. Formulário para envio de consultas está disponível em: <https://covid19vaccinetrial.co.uk/press-updates> .

A farmacêutica AstraZeneca anunciou acordo com a Universidade de Oxford para a produção e a distribuição, em escala global, de vacina que venha a ser desenvolvida pela universidade.  A empresa trabalhará estreitamente com o Jenner Institute e o Oxford Vaccine Group para acelerar, com segurança, o processo que envolve testes, produção e distribuição da vacina.  O Diretor Executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou que a multinacional tem a expectativa de conseguir produzir até 100 milhões de doses da vacina até o final de 2020.  A prioridade, em primeiro momento, seria produzir oferta para o Reino Unido, expandido, em segundo momento, para distribuição global. A AstraZeneca tenciona distribuir o produto a custo de produção – a comercialização da vacina e o pagamento de “royalties” passariam a ser feitos apenas quando a Covid-19 tornar-se doença endêmica, como a influenza. Em relação ao anúncio, o governo britânico declarou que “the science is uncertain, and no vaccine may work, but this deal gives the UK the best chance we can of a breakthrough that could defeat this awful virus”. 

 

Fonte: Setor Acadêmico

Embaixada do Brasil em Londres

Academic Section
Embassy of Brazil
14/16 Cockspur Street
London SW1Y 5BL
academic.london@itamaraty.gov.br

PRORROGAÇÃO: Inscrições no Prêmio para Mulheres na Ciência da L’oréal, UNESCO e ABC até 22 de maio

image

Foram prorrogadas até o dia 22 de maio as inscrições para o programa Para Mulheres na Ciência, que este ano comemora 15 anos no Brasil. Realizado pela L´Oréal, em parceria com a Unesco no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências, o prêmio tem como objetivo promover e reconhecer a participação da mulher na ciência, favorecendo o equilíbrio dos gêneros no cenário brasileiro.

Todo ano, na edição local, sete jovens pesquisadoras das áreas de Ciências da Vida, Ciências Físicas, Ciências Químicas e Matemática são contempladas com uma bolsa-auxílio de R$ 50 mil cada, para dar prosseguimento aos seus estudos.

As vencedoras serão conhecidas a partir de agosto. Para participar, é necessário que a candidata tenha concluído o doutorado a partir de 01/01/2013, tenha residência estável no Brasil, desenvolva projetos de pesquisa em instituições nacionais, entre outros requisitos. O regulamento completo e mais informações sobre o programa estão disponíveis no site www.paramulheresnaciencia.com.br .

Ao longo destes 15 anos, o prêmio Para Mulheres na Ciência já reconheceu e incentivou 96 cientistas brasileiras, premiando a relevância dos seus trabalhos, com a distribuição mais de R$ 4,2 milhões em bolsas-auxílio.


CONTATOS PARA A IMPRENSA:
FSB Comunicação – Assessoria de Comunicação L´Oréal Brasil
(21) 3206-5050

Publicada a lista de candidatos a Membros do Conselho Superior da FACEPE

maquete-de-voto-com-envelope-e-urna_23-2148429119

 

Lista de Candidatos a Membro do Conselho Superior

Homologada pela Comissão Eleitoral

CANDIDATO (A) / INSTITUIÇÃO

ÁREA

ULISSES DOS SANTOS PINHEIRO / UFPE

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

LEONOR COSTA MAIA / UFPE

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

CAROLINE MARIA DE MIRANDA MOTA / UFPE

CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS

Recife, 04/05/2020

Ana Cássia Cabral de Lima

Presidente da Comissão Eleitoral

http://www.facepe.br/wp-content/uploads/2020/05/Edital_FACEPE_03-2020_Eleição-MCS-2020-Lista-de-Candidatos.pdf

RASTREADOR DE P&D COVID-19

gloved-hand-picking-samples-for-analysis

A Research Cures Research desenvolveu esse rastreador para ajudar financiadores, formuladores de políticas, pesquisadores e outros a entender o cenário em evolução da P&D para o COVID-19. Os painéis abaixo acompanham os compromissos de financiamento para pesquisa básica e P&D de desenvolvimento de produtos e o status atual e a composição do pipeline de novos medicamentos, vacinas e diagnósticos, permitindo que os usuários identifiquem os principais contribuintes financeiros e científicos para a luta global contra o COVID-19.

A Policy Cures Research é uma instituição australiana financiada pela Fundação Bill & Melinda Gates, que conduz uma pesquisa anual sobre investimento global para doenças negligenciadas (G-FINDER). Atualmente essa instituição está rastreamento dos compromissos de financiamento para pesquisa básica e P&D de produtos e o status atual e a composição do pipeline de novos medicamentos, vacinas e diagnósticos para o COVID-19:

https://www.policycuresresearch.org/covid-19-r-d-tracker

FACEPE divulga resultado final do CENTELHA/PE

Logotipos_Centelha_Estaduais-PE

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), divulga o resultado final do edital 08/2019 – Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores – CENTELHA/PE. Foram aprovados 28 projetos de fomento aprovados para contratação e dos 22 projetos na classificação de Suplentes.

As empresas beneficiárias que tiveram os projetos de fomento terão o prazo de 60 (sessenta) dias corridos, contados da data da publicação do resultado final, para constituição da empresa e entrega de documentos para a contratação. Deverão ser apresentado uma cópia de cada um dos documentos referentes à empresa proponente, listados no item 14.2 deste edital, ao setor de protocolo da FACEPE, situada à Rua Benfica, 150 – Madalena – Recife – PE – CEP: 50720-001 diretamente ou por via Sedex com AR, como condição prévia à contratação das propostas aprovadas. É necessário que a empresa beneficiária, o coordenador técnico e todos os membros da equipe técnica listados na proposta estejam cadastrados e atualizados no Sistema AgilFap da FACEPE (https://agil.facepe.br/).

Os projetos classificados como Suplentes ou não aprovados ficarão em uma lista de espera e poderão ser chamados até do mês de junho de 2020.

O Programa CENTELHA/PE visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

Resultado clique aqui.

Chamada Pública CNPq/MCTIC/SEMPI n° 01/2020 de apoio às pesquisas em Grafeno tem suas submissões prorrogadas

grafeno

Devido à pandemia de COVID-19, o prazo para submissão das propostas à Chamada Pública CNPq/MCTIC/SEMPI n° 01/2020 de apoio às pesquisas em Grafeno foi prorrogado para o dia 17/07/2020, como publicado na Seção 3, do Diário Oficial da União, de 24 de abril.

A Chamada Pública prevê o apoio inicial para 30 propostas (Fase I – Ideação – 6 meses), sendo que as 10 iniciativas seguem para a Fase II (MVP – 18 meses). Em ambas as fases estão previstos apoio na forma de bolsas e custeio.

Para mais informações, acessar o link:  http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas?p_p_id=resultadosportlet_WAR_resultadoscnpqportlet_INSTANCE_0ZaM&filtro=abertas&detalha=chamadaDivulgada&idDivulgacao=9362

Qualquer dúvida, favor entrar em contato com nossa Coordenação por este email ou pelo telefone: (61) 2033-7424 ou diretamente com o CNPq, pelos canais de apoio.

Edital Emergencial 05/2020 – Corona Vírus: submissões prorrogadas até 1º de junho/2020

Coronavirus 2019-nCoV spreading

A pedidos, a FACEPE prorroga o prazo de apresentação de planos de trabalho para o edital emergencial COVID-19 para até 1º de junho de 2020.

1.3 CRONOGRAMA

Atividades

Data

Lançamento do Edital na página da FACEPE

15/04/2020

Limite para submissão dos planos de trabalho para: edital_covid19@facepe

Até 17h00 de 01/06/2020

Divulgação dos resultados por mensagem eletrônica da Diretoria de Inovação a todos os participantes do processo

A partir de 15 de junho de 2020

Maiores informações, entrar em contato através do e-mail: edital_covid19@facepe.br. Lembrando que a FACEPE está trabalhando integralmente em home-office.

Acesse à errata.